Você está aqui: Página Inicial > Acesso à Informação > Ações e Programas > Combate ao Contrabando e Descaminho > Notícias > 2017 > Novembro > 8ª Região Fiscal > Parceria entre Alfândega de São Paulo e Polícia Federal resulta em mais uma prisão em flagrante
conteúdo

Notícias

Parceria entre Alfândega de São Paulo e Polícia Federal resulta em mais uma prisão em flagrante

São Paulo

Suspeito de envolvimento com o tráfico internacional de entorpecentes foi preso em flagrante após a identificação de drogas ocultas em remessa postal.

No dia 8 de novembro, na capital paulista, a Polícia Federal deu voz de prisão em flagrante delito a cidadão que foi surpreendido recebendo encomenda por uma viatura dos Correios.

Em uma fiscalização de rotina, os servidores que atuam no Serviço de Remessas Postais Internacionais (Serpi) da Alfândega da Receita Federal em São Paulo constataram, pelas imagens do equipamento de Raio X, a existência de substância entorpecente camuflada no interior de um aparelho de som. A remessa veio dos Estados Unidos com destino final na capital de São Paulo.

Após a identificação e os procedimentos de praxe com a equipe dos Correios, foi feito o comunicado à Polícia Federal (PF) sobre o local e a data da entrega da encomenda. Em função desta notificação, a PF pôde realizar a operação de "Entrega Assistida", ocasião em que foi identificado que o endereço indicado não correspondia ao do real morador e que o destinatário, preso em flagrante, portava documentos de identidade e nome falsos.

Foram encontrados, no interior do aparelho de som, seis pacotes de skank, também conhecido como "supermaconha" e, no decorrer da operação, mediante todas as provas encontradas na residência do suspeito, foi confirmado o seu envolvimento com o tráfico internacional de entorpecentes.

De acordo com a Polícia Federal, esta parceria tem gerado ótimos frutos, pois os nomes fictícios colocados como destinatários nos objetos postais e a apresentação de documentos falsos dificultam em muito as investigações. Afirmam que prendê-los em flagrante é a melhor solução.

A chefe do Serpi, auditora-fiscal Georgia Ibañez Pavarini, após o recebimento da comunicação da prisão, declarou que "essa foi mais uma notícia excelente que fortifica ainda mais nossa parceria com a Polícia Federal e nos faz querer aprimorar continuamente nossas atividades de controle aduaneiro".

registrado em: