Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Assessoria de Comunicação Institucional > 2015 > Março > Operação “Bemol"

Notícias

Operação “Bemol"

Investigação

Receita Federal combate esquema de lavagem de dinheiro e evasão de divisas em Foz do Iguaçu
publicado: 05/03/2015 08h31 última modificação: 05/03/2015 08h38

A Receita Federal e a Polícia Federal de Foz do Iguaçu (PR) deflagraram nesta quinta-feira (05) a “Operação BEMOL" com o objetivo de desarticular organização suspeita de desenvolver esquema transnacional de lavagem de dinheiro e evasão de divisas entre o Brasil e Paraguai.

As investigações identificaram a utilização, pelo grupo suspeito, de contas bancárias de diversas empresas, em geral fictícias, para receber vultosos valores de pessoas físicas e jurídicas de diversos Estados brasileiros, interessadas em adquirir mercadorias, drogas e cigarros provenientes do Paraguai.

O grupo investigado era responsável por conferir aparência lícita a recursos financeiros de origem supostamente criminosa e, também, por remeter esses mesmos recursos “sujos” ao Paraguai. Além disso, para atender as exigências de “doleiros” paraguaios, realizava também a transferência de parte dos ativos ilícitos para contas bancárias brasileiras controladas por tais “doleiros”.

Constatou-se que as empresas controladas pela organização investigada movimentaram mais de R$ 600 milhões de origem ilícita.

Como parte das ações estão sendo cumpridos 7 mandados de prisão preventiva e 34 de prisão temporária, além de 25 mandados de condução coercitiva e 68 mandados de busca e apreensão nos Estados do Paraná e São Paulo. Participam da operação 30 servidores da Receita Federal e 230 policiais federais.

A operação foi batizada de “Bemol” por possuir o mesmo propósito da “Operação Sustenido”, deflagrada em maio de 2014. Naquela ocasião, foi desarticulada organização criminosa especializada na prática dos mesmos delitos. A expressão “bemol” é uma referência à teoria musical, visto que tanto o “sustenido”, quanto o “bemol” representam uma nota intermediária entre outras duas notas musicais. O papel das organizações criminosas descortinadas pelas operações era fazer a ligação entre traficantes de drogas, “cigarreiros” e empresários brasileiros com os fornecedores residentes no Paraguai. Os dois grupos suspeitos representavam a ponte (o elo) entre criminosos brasileiros e paraguaios. Em outras palavras, representavam o semitom, sem o qual a sinfonia não podia ser tocada.

Às 10h será realizada entrevista coletiva na sede da Superintendência da Polícia Federal de Foz do Iguaçu, a qual contará com a presença do Delegado da Receita Federal em Foz do Iguaçu e de representante da Polícia Federal, quando serão apresentados os resultados parciais da operação.