Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Assessoria de Comunicação Institucional > 2005 > Novembro > Empresas são acusadas de sonegar nove milhões no Rio Grande do Norte

Notícias

Empresas são acusadas de sonegar nove milhões no Rio Grande do Norte

Investigação

As empresas constituíram uma firma de fachada, em nome de "laranjas", que venceu fraudulentamente uma licitação
publicado: 17/11/2005 23h00 última modificação: 06/03/2015 17h24

Nesta quinta-feira, 17 de novembro, em Natal (RN) foram cumpridos mandados de busca e apreensão nas residências de sócios e nas sedes de empresas suspeitas de sonegarem R$ 9 milhões. A ação foi fruto de investigação conjunta do Ministério Público Federal no RN (MPF/RN), Receita Federal do Brasil e Polícia Federal.

As empresas constituíram uma firma de fachada, em nome de "laranjas", que venceu fraudulentamente uma licitação. De acordo com o contrato com o governo do estado, a firma deveria prestar serviços de higienização nos hospitais estaduais. A firma recebia mensalmente cerca de R$ 600 mil do governo estadual pelos supostos serviços, chegando a mais de R$ 16 milhões, entre março de 1999 e outubro 2002. Como a empresa não existia de fato, ela nunca efetuou o pagamento de impostos e contribuições sociais. O valor estimado da sonegação de imposto e contribuições previdenciárias supera, até o momento, nove milhões de reais.

As empresas podem responder aos crimes de sonegação fiscal, apropriação indébita previdenciária, formação de quadrilha, estelionato, falsificação de documentos públicos e particulares, fraude à licitação, crime contra o sistema financeiro e lavagem de dinheiro.