Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Assessoria de Comunicação Institucional > 2005 > Maio > Operação Hidra combate contrabando em quatro Estados

Notícias

Operação Hidra combate contrabando em quatro Estados

Operação de Fiscalização

Foram expedidos 90 Mandados de Prisão e 146 Mandados de Busca e Apreensão
publicado: 04/05/2005 00h00 última modificação: 03/03/2015 17h18

Foi deflagrada na manhã desta quarta-feira (4), operação conjunta entre Receita Federal e Polícia Federal, tendo como alvo organização criminosa especializada na prática do contrabando e descaminho de eletro-eletrônicos, pneus, cigarros e outros produtos oriundos do Paraguai. Foram expedidos 90 Mandados de Prisão e 146 Mandados de Busca e Apreensão, abrangendo os Estados do Paraná, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e São Paulo.

As investigações relativas à Operação HIDRA foram iniciadas há aproximadamente um ano pela Polícia Federal e Ministério Público Federal, tendo recebido durante todo o período o apoio da inteligência da Receita Federal. A quadrilha desarticulada era liderada pela família Balan, bastante influente na região de Eldorado/MS, e vinha atuando há muitos anos. Internamente, era conhecida como “A Firma”.

A organização criminosa utilizava diversas empresas fantasmas, com destaque para várias transportadoras sediadas em Maringá e Umuarama, no Paraná, e costumava transportar os produtos em caminhões (tanque, carvoeiro, graneleiro) com fundo falso. As mercadorias eram destinadas para diversos estados do país, especialmente para São Paulo.

A Receita Federal participou das buscas em 11 endereços nos Estados do Paraná, Mato Grosso do Sul e São Paulo, notadamente em depósitos e empresas utilizadas pela organização criminosa, seja para a guarda de mercadorias introduzidas clandestinamente no país, seja para dar aparência legal às atividades ilícitas. Participaram no total 24 Auditores Fiscais e mais de 300 Policiais Federais.

Foram apreendidos até agora vários caminhões pertencentes às transportadoras e a diversas pessoas físicas utilizadas como “laranjas”. Alguns dos caminhões utilizados pela quadrilha trafegavam com placas clonadas.