Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Assessoria de Comunicação Institucional > 2005 > Janeiro > Descoberto golpe de R$ 6 milhões na importação de perfumes e cosméticos

Notícias

Descoberto golpe de R$ 6 milhões na importação de perfumes e cosméticos

Investigação

A mercadoria – cerca de 26 toneladas – está avaliada em R$ 6 milhões
publicado: 27/01/2005 23h00 última modificação: 02/03/2015 16h40

Depois de quatro meses de investigação, a Receita Federal em Itajaí (SC) desmontou esquema de importação irregular de perfumes e cosméticos de marcas tradicionais, como Chanel, Bulgari, Estee Lauder e Clinique. A mercadoria – cerca de 26 toneladas – está avaliada em R$ 6 milhões. A operação, iniciada em outubro do ano passado, foi desencadeada pelo Grupo de Fiscalização Aduaneira da Receita em Itajaí.

A Receita de Itajaí descobriu que, além de laranjas, os responsáveis pela importação dos cosméticos subfaturaram os produtos para pagar menos impostos. Além da sonegação de tributos, os fraudadores tinham o objetivo de afastar o verdadeiro importador da condição de contribuinte equiparado a industrial do IPI, Pis/Pasep e Cofins, tributos que incidiriam sobre a diferença entre o preço da compra e da revenda.

As suspeitas de que a importação era feita por laranja, além do subfaturamento, foi levantada pela Inspetoria da Receita Federal em Curitiba. A partir de pesquisa nos sistemas da Receita e diligências realizadas nas instalações da empresa, que se apresentava como real comprador, houve o recolhimento de provas da fraude.

Os responsáveis vão responder a processo por contrabando e sonegação de impostos, além do risco de as empresas envolvidas no esquema terem o cadastro na Receita cancelado.

Essa é a terceira grande apreensão feita pela Receita em todo o País desde segunda-feira. A primeira resultou na retenção de R$ 1 milhão em azeite no Porto de Vitória (ES). Ontem, a Alfândega do Porto de Suape (PE) informou que foram apreendidos 50 mil relógios das marcas Rolex, Adidas e Swatch, além de 10 mil bolsas, ambos os produtos falsificados.

Mais informações sobre as apreensões em Santa Catarina poderão ser obtidas com o delegado substituto da Receita Federal em Itajaí, Arthur Cezar Rocha Cazella, através do telefone (47) 341-0350.

Assessoria de Imprensa da SRF