Você está aqui: Página Inicial > Acesso à Informação > Ações e Programas > Combate ao Contrabando e Descaminho > Notícias > 2020 > Setembro > 8ª Região Fiscal > Grupo de Repressão de Viracopos apreende drogas e cigarros
conteúdo

Notícias

Grupo de Repressão de Viracopos apreende drogas e cigarros

São Paulo

Ações ocorreram no Centro de Distribuição de Encomendas dos Correios em Indaiatuba/SP e na Rodovia Castelo Branco.
publicado: 29/09/2020 00h11, última modificação: 29/09/2020 00h11

Em duas operações, realizadas nos dias 24 e 25 de setembro, o Grupo de Repressão (Grep) da Alfândega da Receita Federal no Aeroporto Internacional de Viracopos apreendeu 1 kg de cocaína e 450 mil maços de cigarros contrabandeados.

Na tarde do dia 24, em operação realizada no Centro de Distribuição de Encomendas dos Correios em Indaiatuba/SP com a ajuda dos agentes caninos Black e Eyka, foram identificados entorpecentes em cinco encomendas. No total, foram apreendidos 1 kg de cocaína e porções de maconha e de haxixe, avaliados em aproximadamente R$ 60 mil.

Já no final da tarde do dia 25, com base em informações de inteligência da Receita Federal no Paraná, o Grep identificou um caminhão suspeito e que poderia transportar valiosa carga de cigarros contrabandeados do Paraguai, com destino a São Paulo.

Em ação conjunta com a Polícia Rodoviária Estadual de São Paulo na Rodovia Castelo Branco (SP280), por volta das 17h30, foi realizada a abordagem do caminhão, que transportava aproximadamente 900 caixas de cigarros contrabandeados do Paraguai, totalizando 450 mil maços avaliados em cerca de R$ 2,16 milhões. Além dos cigarros, foi retido também o caminhão que transportava a carga contrabandeada.

O motorista do veículo foi conduzido à Delegacia da Polícia Federal em Bauru/SP e preso por crime de contrabando.

Serão instaurados processos administrativos para aplicação da pena de perdimento do caminhão e dos cigarros, além do lançamento da multa de R$ 2 por maço.

A atuação da Receita Federal na repressão ao contrabando e ao descaminho visa primordialmente à proteção da sociedade, tanto no aspecto relacionado à manutenção dos empregos gerados pela indústria nacional quanto à proteção da saúde e da vida das pessoas, além de coibir o enriquecimento pelas organizações criminosas.