Você está aqui: Página Inicial > Acesso à Informação > Ações e Programas > Combate ao Contrabando e Descaminho > Notícias > 2019 > Setembro > 8ª Região Fiscal > Operação Promitheia já apreendeu 208 toneladas de mercadorias

Notícias

Operação Promitheia já apreendeu 208 toneladas de mercadorias

São Paulo

Ação foi expandida para mais um shopping da região do Brás. Mercadorias contrafeitas foram encontradas em fundos falsos de lojas e no teto dos estabelecimentos.
por publicado: 10/09/2019 10h54 última modificação: 10/09/2019 10h54

A Operação Promitheia, deflagrada pela Receita Federal em parceria com a Prefeitura de São Paulo, apreendeu, até a segunda-feira, dia 9 de setembro, 208 toneladas de mercadorias contrafeitas.

A ação ocorre desde o dia 2 de setembro em um shopping popular no Brás, região central da capital paulista. A área é hoje um dos principais polos de comércio de mercadorias irregulares, fruto de contrabando, descaminho e falsificação. Todos os cerca de 600 boxes do shopping estão sendo fiscalizados. Até o momento, foram necessários 26 caminhões para transportar os 10.425 volumes já retirados.

Ao longo da primeira semana da operação, a Receita Federal localizou fundos falsos e sótãos em diversos boxes. Nesses lugares, além de mercadorias, como roupas e calçados, foram encontradas máquinas de costura e etiquetas similares à de marcas famosas. As instalações eram bastante precárias, com alto risco de incêndio. No final de semana, foi encontrada ainda grande quantidade de mercadoria oculta no teto do shopping.

Na segunda-feira (9), a Receita Federal expandiu a operação para um segundo shopping do Brás. Um andar inteiro do centro comercial era usado como depósito de produtos contrafeitos. Do total de mercadorias apreendidas, cerca de 845 volumes foram retirados dali.

Saiba mais

O nome da operação, Promitheia, deriva do grego e faz alusão ao papel desempenhado atualmente pelo shopping no suprimento de mercadorias ilegais para toda uma rede de revenda pelo Brasil. Além de realizar vendas no varejo, as lojas do shopping atuam no atacado abastecendo o comércio de rua da cidade de São Paulo e também o comércio irregular de municípios por todo o País.

Ao deflagrar a ação no coração da maior cidade brasileira, a Receita Federal busca interromper essa cadeia de distribuição. Procura também evitar danos à saúde pública, uma vez que as mercadorias não atendem às normas brasileiras. Outra prática combatida é a concorrência desleal, que gera desemprego e instabilidade no ambiente de negócios do País.

Cerca de 60 servidores da Receita Federal participarão da Operação ao longo de três semanas, bem como agentes da Guarda Civil Metropolitana (GCM) e equipes de apoio da Subprefeitura da Mooca, que contarão com o apoio de caminhões para transportar todo o material apreendido para galpões da Receita Federal.