Você está aqui: Página Inicial > Acesso à Informação > Ações e Programas > Combate ao Contrabando e Descaminho > Notícias > 2019 > Outubro > 9ª Região Fiscal > Receita Federal intensifica trabalho de Vigilância e Repressão no Aeroporto Internacional Afonso Pena

Notícias

Receita Federal intensifica trabalho de Vigilância e Repressão no Aeroporto Internacional Afonso Pena

Paraná

Equipe de Vigilância e Repressão retém mais de R$ 100 mil em mercadorias estrangeiras no Aeroporto, só na primeira quinzena de outubro.
por publicado: 21/10/2019 11h49 última modificação: 08/11/2019 11h25

Duas ações foram o resultado do procedimento diário de inspeção não invasiva de bagagens em voos domésticos, com o uso de equipamento de raios X, e outra ação foi o resultado do procedimento de Análise de Dados de cargas aéreas despachadas.

Durante a inspeção de bagagens de voo doméstico procedente da cidade de Cascavel/PR, a Equipe de Vigilância e Repressão (EVR) identificou três malas com diversos equipamentos de rede de informática, supostamente irregulares no país, e avaliados, inicialmente, em R$ 10 mil. Os proprietários das malas eram dois passageiros de Teresina/PI. Toda a mercadoria encontrada foi retida para esclarecimentos junto à Seção de Vigilância Aduaneira (Savig) da Alfândega da Receita Federal em Curitiba.

Em outro procedimento de inspeção não invasiva de bagagens, em voos domésticos procedentes da região oeste do Paraná, a EVR selecionou cinco malas de outros dois passageiros, também oriundos de Teresina/PI, contendo diversos eletrônicos, tais como smartphones, pendrives e relógios de pulso. As mercadorias, avaliadas em cerca de R$ 50 mil, também foram retidas e encaminhadas à Savig da ALF/Curitiba.

A outra ação ocorreu durante trabalho rotineiro de extração e análise de dados de cargas aéreas despachadas. Nessa ocasião foram selecionados dois volumes, pesando cerca de 48 quilos, declarados como rádios comunicadores veiculares de marca estrangeira, que saíram de Londrina/PR com destino a Buritizeiro/MG. As mercadorias interceptadas estavam acobertadas por Nota Fiscal de pessoa jurídica do Estado do Pará. Em consulta, foi possível verificar que a referida empresa comercializava habitualmente tais equipamentos, porém não possuía a entrada dessas mercadorias em seu estoque. Assim, com autorização da Divisão de Repressão ao Contrabando e Descaminho (Direp09), foi solicitado à companhia aérea o efetivo bloqueio da carga e consequente encaminhamento para o Aeroporto Internacional Afonso Pena, objetivando a verificação física por parte da EVR.

Posteriormente foi comprovado tratar-se de rádios comunicadores veiculares de origem estrangeira, avaliados em cerca de R$ 50 mil, acompanhados de Nota Fiscal com falsa declaração de quantidade e marca dos produtos. Novamente as mercadorias foram retidas e encaminhadas à Savig da ALF/Curitiba, responsável pela lavratura do Auto de Infração.