Você está aqui: Página Inicial > Acesso à Informação > Ações e Programas > Combate ao Contrabando e Descaminho > Notícias > 2019 > Julho > 9ª Região Fiscal > Porto Seco de Foz do Iguaçu se mantém como o maior da América Latina em movimentação de cargas

Notícias

Porto Seco de Foz do Iguaçu se mantém como o maior da América Latina em movimentação de cargas

Paraná

Recinto liberou mais de 71 mil caminhões no primeiro semestre de 2019.
por publicado: 25/07/2019 16h38 última modificação: 16/10/2019 09h06

O Porto Seco de Foz do Iguaçu/PR continua com grande movimentação, neste primeiro semestre de 2019, com a liberação de um total de 71.413 de cargas.

O fluxo das operações de importação foi elevado, tendo sido liberadas aproximadamente 42.503 cargas, com destaque para os filamentos sintéticos ou artificiais. Este segmento representa aproximadamente R$ 1,3 bilhão neste primeiro semestre. Além dos filamentos sintéticos ou artificiais, os gêneros mais importados foram máquinas, aparelhos e materiais elétricos; cereais; peixes, crustáceos e moluscos; e produtos hortícolas, plantas raízes e tubérculos.

Pelo lado da exportação, neste primeiro semestre, foram 28.910 cargas liberadas. Os principais gêneros exportados em 2019, por ordem de valor, foram: máquinas, aparelhos e instrumentos mecânicos; veículos automóveis e tratores; papel cartão e pasta de celulose; materiais elétricos; e ferro fundido e aço.

Partindo-se do ponto de vista comercial, o fluxo total de comércio estabelecido via esse recinto foi de aproximadamente U$ 3 bilhões. Dessas divisas, cerca de US$ 1,6 bilhão oriundo de exportações e US$ 1,4 bilhão proveniente de importações, resultando em uma balança comercial superavitária.

Os quadros da sequência apresentam os pesos e valores totais das cargas de importação e de exportação que ingressaram no Porto Seco de Foz do Iguaçu no primeiro semestre de 2019, com o detalhamento do país de origem/destino.

Tais resultados fazem do Porto Seco de Foz do Iguaçu o maior da América Latina no quesito movimentação de cargas, tendo como destaque a operação de exportação para o Paraguai, que representa 92% de toda a operação do período.

 

foto2