Você está aqui: Página Inicial > Acesso à Informação > Ações e Programas > Ações da Receita Federal > Notícias > 2019 > Janeiro > 9ª Região Fiscal > Receita Federal retém 417 volumes de remessas postais irregulares no oeste paranaense

Notícias

Receita Federal retém 417 volumes de remessas postais irregulares no oeste paranaense

Paraná

Os volumes continham vários tipos de mercadorias, e teriam como destino várias regiões do Brasil.
por publicado: 18/01/2019 09h28 última modificação: 18/01/2019 09h28

A Alfândega da Receita Federal em Foz do Iguaçu/PR e a Delegacia da Receita Federal em Cascavel/PR realizaram, nesta semana, operações nos centros de distribuição de remessas postais em cidades do oeste do Paraná: Céu Azul, Matelândia e Foz do Iguaçu. As ações resultaram na retenção de 417 volumes de remessas postais.

Na terça-feira (8), as operações aconteceram nas cidades de Céu Azul e Matelândia, tendo sido retidos 213 volumes com indícios de irregularidades, sendo 78 volumes em Céu Azul e 135 volumes em Matelândia. Na quarta-feira (9), foi a vez de Foz do Iguaçu, onde foram retidos outros 204 volumes também com indícios de irregularidades.

As apreensões foram motivadas pela não comprovação da importação das mercadorias, seja pela falta de nota fiscal ou outro documento comprobatório de regularidade fiscal, como pela apresentação de documentos comprobatórios suspeitos de serem falsos ou inidôneos. Todas as mercadorias foram levadas para a sede da Alfândega da Receita Federal em Foz do Iguaçu, para verificação minuciosa tanto do conteúdo quanto da documentação referente à postagem.

Estima-se que as mercadorias somem aproximadamente R$ 200 mil. Os volumes seguiriam para vários destinos no país.

Na semana passada já havia sido realizada uma operação no centro de distribuição de remessas postais na cidade de Matelândia, ocasião em que foram retidos 363 volumes, estimados em R$ 250 mil. Com isso a soma total de remessas postais retidas na região oeste do Paraná só nos primeiros dias de 2019 é de 780 volumes, com valor total estimado em R$ 450 mil. Veja a notícia da operação anterior clicando aqui.

A Receita Federal ressalta que, conforme o artigo 105 do Decreto Lei n° 37, de 18 de novembro de 1966, aplica-se a pena de perda da mercadoria, estrangeira, exposta à venda, depositada ou em circulação comercial no País, se não for feita prova de sua importação regular; e estrangeira ou nacional, na importação ou na exportação, se qualquer documento necessário ao seu embarque ou desembaraço tiver sido falsificado ou adulterado.