Você está aqui: Página Inicial > Acesso à Informação > Ações e Programas > Combate ao Contrabando e Descaminho > Notícias > 2016 > Maio > 1ª Região Fiscal > MS: Receita Federal em Corumbá/MS apreende 1,5 tonelada de vestuário e animais silvestres

Notícias

MS: Receita Federal em Corumbá/MS apreende 1,5 tonelada de vestuário e animais silvestres

por publicado: 06/05/2016 15h48 última modificação: 07/08/2017 16h44

Na madrugada desta quinta-feira (5), nas proximidades do porto seco (Agesa), a equipe de Vigilância e Repressão Aduaneira da Receita Federal em Corumbá/MS, fronteira com a Bolívia, apreendeu 1,5 tonelada de roupas com forte indício de contrafação, além de uma espingarda calibre .22 e animais silvestres. Três pessoas foram detidas, sendo dois bolivianos e um brasileiro.

Em abordagem de um veículo suspeito, com placas bolivianas, foram encontrados seis fardos de roupas sem comprovação de importação regular e com fortes indícios de falsificação. Os dois homens de nacionalidade boliviana informaram que as mercadorias estavam em uma trilha e seriam levadas para outro ponto, onde uma terceira pessoa aguardava em um caminhão. O destino final não foi informado.

Na tentativa de localizar o caminhão, a equipe seguiu pela estrada que margeia a fronteira e encontrou um Parati/Volkswagen parado que, ao avistar a viatura da Receita Federal, tentou fugir do local. Após uma perseguição, os servidores abordaram o veículo e encontraram uma arma calibre .22, um cervo do pantanal (baleado, mas ainda vivo) e pedaços de jacaré (provavelmente da cauda do animal) no porta-malas do automóvel. O condutor, um brasileiro de 61 anos, foi encaminhado à Polícia Militar e será autuado pelo crime de tráfico de animais silvestres e porte ilegal de arma de fogo. A Polícia Ambiental também foi acionada durante a ação. 

A equipe da Receita Federal deu continuidade a busca pelas mercadorias, seguindo pela trilha, informada pelos bolivianos. Devido à presença da fiscalização, provavelmente os contrabandistas evadiram rapidamente do local, deixando outros 12 fardos de vestuário e cinco carrinhos de mão (possivelmente usados no transporte dos fardos), lanternas e mochilas para trás. Para o auditor-fiscal Hermano Toscano, esse material indica que o local é utilizado como ponto de apoio para passagem de contrabando e descaminho.

Os 18 fardos de roupas pesam mais de 1,5 tonelada e estão avaliados em cerca de R$ 100 mil. O condutor e o passageiro do veículo, que transportava os seis fardos, responderão pelo crime de contrabando e foram encaminhados à Polícia Federal. O crime de contrabando é tipificado pelo Código Penal brasileiro e tem pena de reclusão de 2 a 5 anos.

registrado em: