Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Assessoria de Comunicação Institucional > 2020 > Maio > Receita Federal doa remédios apreendidos ao Ministério Público de Roraima

Notícias

Receita Federal doa remédios apreendidos ao Ministério Público de Roraima

Aduana

Os medicamentos foram apreendidos no município de Pacaraima e foram entregues ao Núcleo de Saúde do Ministério Público de Roraima pela Receita Federal na última sexta-feira (1º).
publicado: 07/05/2020 12h02 última modificação: 07/05/2020 12h07

Mais de 300 caixas de medicamentos serão destinadas para o enfrentamento da pandemia no estado pelo Gabinete de Gerenciamento de Crise Covid-19 do Ministério Público do Estado de Roraima (MPRR).

Os remédios, entre antibióticos, anti-inflamatórios, analgésicos e medicamentos para hipertensão e diabetes, serão encaminhados para o Hospital de Campanha do Exército Brasileiro na capital e para o Sistema Prisional Estadual.

A iniciativa é resultado de um Termo de Cooperação firmado, em abril deste ano, pela Delegacia da Receita Federal em Boa Vista e o Ministério Público de Roraima, tendo como objeto parceria mútua para doação de materiais apreendidos pela DRF/Boa Vista, além de destruição, inutilização ou reaproveitamento dos produtos destinados a atender a entidades sem fins lucrativos que atuam na promoção da dignidade do ser humano, as quais são atendidas pelo MPE, por intermédio inclusive da atuação do seu núcleo de Saúde Operacional e prevenção.

De acordo com a coordenadora do Núcleo de Saúde do MPRR, todos os medicamentos foram avaliados por três profissionais, a coordenadora, uma infectologista e uma psiquiatra, que verificaram a qualidade, prazo de validade e também separaram os remédios para cada grupo de pacientes.

“Nós seguimos uma lista enviada pelos órgãos a respeito das principais demandas e já direcionamos os remédios com base no perfil das pessoas atendidas. As necessidades dos públicos masculino e feminino do Sistema Penitenciário são diferentes, assim como a do hospital. Trabalhamos para que todos os órgãos recebam a medicação que mais precisam e possam, assim, prestar um bom atendimento à população”, ressaltou a coordenadora do Núcleo.

registrado em: