Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Assessoria de Comunicação Institucional > 2018 > Junho > Receita Federal realiza 1º Seminário do Transporte Rodoviário Internacional de Cargas em Foz do Iguaçu
conteúdo

Notícias

Receita Federal realiza 1º Seminário do Transporte Rodoviário Internacional de Cargas em Foz do Iguaçu

Comércio Exterior

O evento reuniu representantes de transportadores brasileiros e paraguaios
publicado: 22/06/2018 16h23, última modificação: 04/04/2019 15h23

No dia 19 de junho, Foz do Iguaçu/PR recebeu o 1º Seminário do Transporte Rodoviário Internacional de Cargas realizado pela Receita Federal em parceria com o Sindicato dos Transportadores Rodoviário de Foz do Iguaçu e região (Sindifoz) e apoio da Federação das Empresas de Transporte de Cargas do Estado do Paraná. O evento foi realizado no auditório do Serviço Social do Transporte e do Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (SEST/SENAT) e reuniu por volta de 120 representantes de transportadores brasileiros e paraguaios, além de despachantes.

O objetivo do Seminário foi de alinhar conhecimento a respeito de três ações relacionadas à modernização do comércio exterior que afetam o setor de transporte de cargas: a agilidade promovida pelo programa OEA (Operador Econômico Autorizado); a transição para o novo modelo de controle de cargas; e as mudanças nas operações de exportação, decorrentes das alterações introduzidas no Siscomex Exportação Web e da implantação da DU-e (Declaração Única de Exportação).

A abertura do evento contou com a presença do presidente do Sindifoz e do superintendente-adjunto da Receita Federal na 9ª Região Fiscal, auditor-fiscal Tsuyoshi Ueda, que destacou em sua fala a modernização da Receita Federal, importante para melhoria do ambiente de negócios, e a importância da aproximação da Aduana com os intervenientes do comércio exterior.

O tempo das palestras foi dividido entre quatro auditores-fiscais da Receita Federal. O primeiro painel sobre o programa OEA foi conduzido pelo auditor-fiscal Fabiano Queiroz Diniz, integrante da Equipe de Gestão OEA na Coordenação-Geral de Administração Aduaneira (Coana). Em sua palestra ele destacou o histórico do programa OEA no mundo, o processo de implantação do programa no Brasil e sua importância para aumentar a eficiência das operações de comércio exterior. No painel também participou um representante da aduana paraguaia, que falou sobre a implantação do programa OEA no Paraguai, e uma representante da Hyundai Motor Brasil, empresa certificada OEA no Brasil, que destacou a importância da certificação de empresas importadoras e exportadoras e também, de operadores de serviços de logística para fins de qualificação de toda a cadeia logística de comércio exterior. Atualmente no Brasil, das 169 empresas certificadas, apenas 12 são transportadoras.

Ainda na parte da manhã, a segunda palestra foi proferida pelo auditor-fiscal Adalton José de Castro da Equipe de Carga e Trânsito da Coana. Sua explanação foi sobre a transição de sistema para o novo modelo de controle de cargas.

Na parte da tarde o coordenador Especial de Infraestrutura e Técnica Aduaneira, auditor-fiscal Marco Siqueira, e o chefe da Divisão de Despacho de Exportação e Regimes Aduaneiros, auditor-fiscal Felipe Mendes Moraes, ambos da Coana, abordaram questões relativas à DU-e Transporte de Carga Exportada com base no MIC/DTA (Manifesto Internacional de Carga/Declaração de Trânsito Aduaneiro) emitido no módulo CCT (Controle de Carga e Trânsito) do Portal Siscomex. A apresentação iniciou com um fluxograma demonstrando o funcionamento da nova sistemática na exportação, avançando para o detalhamento do sistema e do material disponível para esclarecimento de dúvidas. O tema gerou grande interesse e participação do público, pois a entrada definitiva da DU-e nos procedimentos de comércio exterior está próxima, será no dia 2 de julho.

O evento foi considerado inovador e foi muito bem recebido pelo público, pois trouxe muitos esclarecimentos para os transportadores sobre as simplificações e facilitações do comércio exterior e a adequação do controle aduaneiro e administrativo ao processo logístico das importações e exportações.