Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Assessoria de Comunicação Institucional > 2017 > Junho > Receita mantém cooperação para desenvolvimento de ensino e pesquisa em Cosmetologia

Notícias

Receita mantém cooperação para desenvolvimento de ensino e pesquisa em Cosmetologia

Institucional

Receita Federal em São Paulo destina cabelos e produtos de higiene e beleza à Faculdade de Ciências Farmacêuticas da USP.
publicado: 27/06/2017 09h30 última modificação: 04/04/2019 16h03

Após uma destinação com êxito, ocorrida em 2015, na forma de incorporação, o Serviço de Gestão de Mercadorias Apreendidas (Semap) da Receita Federal em São Paulo manteve a cooperação com a Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo (USP).

Uma nova leva de mercadorias apreendidas acaba de ser destinada pelo Semap à Faculdade, atendendo à solicitação do beneficiário. As mercadorias desta última destinação compreendem cabelos humanos e sintéticos, perucas, cosméticos, xampus e cremes. Elas terão como destino o Laboratório de Cosmetologia, para a elaboração de projetos de pesquisa e preparo das aulas práticas, como ocorrido em 2015.

De acordo com a professora Maria Velasco, responsável pelo Laboratório de Cosmetologia da USP, no Brasil, são escassos os trabalhos científicos voltados ao desenvolvimento, aplicação e avaliação de cosméticos e cosmecêuticos capilares, apesar da elevada procura da população. “Isto representa um grande risco para o País, em função da variabilidade e miscigenação das raças”, explica Maria Velasco.

Em 2015, a ALF/Guarulhos mantinha vários lotes disponíveis para destinação, totalizando mais de 500 kg de cabelo humano, e que, por serem interditados pela Anvisa, seriam destruídos. No entanto, o Semap localizou a professora Maria Velasco, que identificou a oportunidade de utilizá-los nas atividades de ensino e pesquisa do Laboratório. “Para a realização de nossas pesquisas, mechas de cabelo são frequentemente adquiridas de fornecedores confiáveis, mas devido ao elevado custo, muitas vezes, alguns experimentos tornam-se inviáveis, o que prejudica o desenvolvimento da pesquisa científica no Brasil”, diz a docente.

Na ocasião, também foram incorporados amostras de cosméticos, xampus, condicionadores, cremes para cabelo, dentre outros, que teriam a destruição como destino, visto que não estavam liberados para consumo humano. As mercadorias foram direcionadas para atividades dos estudantes de graduação (iniciação científica) e pós-graduação (mestrado e doutorado) em linhas de pesquisa de fotoproteção e tratamento capilar. A Faculdade de Ciências Farmacêuticas também recebeu, ainda em 2015, equipamentos de informática e para análises laboratoriais.

“Espero continuar contando com a colaboração de doações por parte deste Órgão que continuarão a incentivar as pesquisas na área Cosmética”, finaliza a professora Maria Velasco. Com as destinações ao Laboratório de Cosmetologia da USP, a Receita Federal em São Paulo evita o custo de armazenamento e destruição das mercadorias, a degradação ao meio ambiente, e ainda contribui para um fim social.