Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Assessoria de Comunicação Institucional > 2007 > Maio > Receita Federal desmonta esquema de lavagem de dinheiro em Natal
conteúdo

Notícias

Receita Federal desmonta esquema de lavagem de dinheiro em Natal

Operação de Fiscalização

Um sofisticado esquema internacional de lavagem de dinheiro, com origem na Noruega, e destino final principalmente o Rio Grande do Norte, através de investimentos no mercado imobiliário, foi desmontado pela Receita Federal
publicado: 10/05/2007 00h00, última modificação: 12/01/2015 13h56

Um sofisticado esquema internacional de lavagem de dinheiro, com origem na Noruega, e destino final principalmente o Rio Grande do Norte, através de investimentos no mercado imobiliário, foi desmontado pela Receita Federal, em conjunto com o Ministério Público, a Polícia Federal e a Justiça Federal. A chamada "Operação Paraíso" envolveu ainda ações na Paraíba, onde a quadrilha também atuava.

A descoberta do golpe aconteceu quando os agentes federais começaram a investigar o ingresso de um grande volume de capital estrangeiro no Rio Grande do Norte, principalmente em investimentos imobiliários. Quando já estava sendo investigada a legalidade destes recursos, em função de uma série de denúncias sobre a prática de lavagem de dinheiro, foi publicada na imprensa local a tradução de um reportagem de jornal norueguês, em que um dos envolvidos dizia que Natal era um paraíso, não tinha polícia, não tinha Receita, não tinha nada. Dai a origem do nome.

Entre os principais envolvidos no esquema estão três grupos de origem norueguesa, que operavam com empreendimentos imobiliários, entre eles condomínios, hotéis e Resorts. A maioria das empresas constituídas para os empreendimentos pertenciam e eram gerenciadas por noruegueses. Um advogado brasileiro, cúmplice da quadrilha, fazia as simulações para dar os ares de legalidades aos projetos relacionados.

O relatório inicial que apontou a incompatibilidade entre o patrimônio declarado e a movimentação financeira das pessoas envolvidas, que resultou no desvendamento do esquema de sonegação fiscal e lavagem de dinheiro, foi elaborado por Henrique Jorge de Freitas, chefe da Fiscalização da DRF/Natal.

A "Operação Paraíso" contou ainda com a participação da polícia norueguesa, que, simultaneamente, realizou prisões de envolvidos que se encontravam naquele país. Segundo informaram os policiais noruegueses, em reunião que antecedeu a operação, o grupo identificado é responsável pela pratica vários tipos de crimes na Noruega, incluindo tráfico de drogas, roubos, extorsões e homicídios. Suspeita-se que a maior parte do dinheiro obtido com os crimes tenha sido lavado com a aquisição de bens e investimentos no mercado imobiliário do Rio Grande do Norte. As investigações contaram também com a intermediação da Interpol.

Mais informações com a Delegacia da Receita Federal do Brasil em Natal, pelos telefones ( 84) 3221 2248/3220 2200

Coordenação de Imprensa da RFB