Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Assessoria de Comunicação Institucional > 2004 > Novembro > Em 4 dias, Receita evita entrada de R$ 45 mi em produtos ilegais no país

Notícias

Em 4 dias, Receita evita entrada de R$ 45 mi em produtos ilegais no país

Operação de Fiscalização

Esses produtos poderiam abastecer o mercado informal do País
publicado: 11/11/2004 23h00 última modificação: 17/03/2015 14h29

A Receita Federal estima que, em quatro dias, os sacoleiros deixaram de comprar R$ 45 milhões em mercadorias irregulares. Esses produtos poderiam abastecer o mercado informal do País, mas sua entrada foi inibida pela Operação Cataratas, iniciada segunda-feira, em Foz do Iguaçu (PR), na fronteira com Ciudad del Este, no Paraguai.

De acordo com a Delegacia da Receita em Foz, as ações vêm sendo desenvolvidas principalmente no Posto Fiscal Bom Jesus, em Medianeira. Nesses quatro dias houve a apreensão de R$ 1,3 milhão em mercadorias contrabandeadas e pirateadas.

Com a operação, o movimento nas lojas da cidade paraguaia caiu cerca de 80%. O número de pessoas que declaram espontaneamente suas compras à Receita saltou, em média, de quatro por dia para 270, enquanto o de ônibus que transportam sacoleiros caiu 70%. De janeiro a outubro foram apreendidos 350 ônibus. A Receita acredita que até dezembro esse número chegue a 500.

Para o delegado da Receita em Foz, José Carlos de Araújo, as ações da Receita, desencadeadas em conjunto com as polícias Federal, Militar e Rodoviária e Promotoria de Investigações Criminais do Paraná, além de outros órgãos federais, está atingindo o objetivo traçado.

A operação não tem prazo para ser concluída, o que aumenta a expectativa em relação ao bloqueio de um volume maior de mercadorias que entra no Brasil sem pagar imposto, prejudicando o comércio legal durante as festas de final de ano. A fiscalização da Receita poderá receber nos próximos dias o reforço de tropas do Exército. O pedido já foi feito ao comando local.

Mais informações com o delegado da Receita em Foz, José Carlos de Araújo, pelo telefone (45) 520-4300.